Boicote à JBS pune Joesley Batista ou seus funcionários? | Por quê? - Economês em bom português
Login / Registrar
Anterior Próximo

Boicote à JBS pune Joesley Batista ou seus funcionários?

por

06/06/2017-11:52 - Atualizado 04/07/2017 14:34

O acordo de Joesley Batista com a Procuradoria Geral da República deixou muita gente revoltada. Afinal, não parece justo que um bandido confesso, que ajudou a corromper nosso sistema político, saia dessa pagando uma multa que fará apenas cócegas em seu patrimônio. E, de quebra, se mudará para Nova York sem nenhuma oposição por parte de nossas autoridades.

Nós, entretanto, temos o poder de impor outras punições a tais empresários corruptos. E esse poder advém de nossa condição de consumidores. Podemos, simplesmente, parar de comprar os produtos associados ao grupo JBS. Dessa forma, os empresários passariam a sentir uma perda bem maior do que a multa a eles imposta.

Isso certamente já está acontecendo. Recebi de diversas pessoas listas das empresas ligadas ao grupo dos irmãos Batista recomendando que não se consuma seus produtos. Alguns restaurantes e redes de fast food estão anunciando que deixaram de comprar gêneros alimentícios das empresas associadas à JBS – caso da Domino’s Pizza, como mostra o informe reproduzido logo abaixo:

dominos-joesley
Você pode estar se perguntando: não estaremos punindo, além dos empresários, os trabalhadores dessas empresas, que não têm nada a ver com o imbróglio? Ora, se muita gente deixa de consumir os produtos da JBS, eles passarão a dar prejuízo, o que forçará o grupo a fechar empresas e sacrificar empregos.

Se os irmãos Batista são espertos (e tudo indica que são), esse efeito será provavelmente pequeno. Isso porque a reação negativa dos consumidores os forçará a vender suas empresas para empresários que não estão com o filme queimado.

Vejamos por quê.

Suponha que as Havaianas (que fazem parte do grupo JBS) dão um lucro de X milhões de reais por ano. Mas, agora, com as revelações dos escândalos de corrupção, a demanda pelo produto caiu, e na verdade passa a dar um prejuízo para os donos da empresa.

Mas a qualidade do produto não mudou. Isso quer dizer que, se outro empresário assumir a companhia, ela provavelmente voltará a um lucro próximo ao patamar de X milhões de reais. Ou seja, o valor da empresa nas mãos dos Batista é bem menor do que nas mãos de outra pessoa.

Nesse caso, o que os irmãos Batista devem fazer? Para evitar tomar prejuízo todo ano, venderiam a empresa. Aposto que, por causa disso, aceitariam um desconto considerável no valor pago pela companhia. E esse desconto reflete a aversão dos consumidores a ver tais marcas associadas a esses malfeitores.

Não é suficiente para mandá-los para a cadeia, como muita gente quer. Mas faz com que sintam um pouco mais no bolso. Pelo menos dessa forma os empregos podem ser preservados.

 

Para ficar por dentro do que rola no Por Quê?, clique aqui e assine a nossa Newsletter.